domingo, 23 de setembro de 2007

Novos Amigos Imaginários(?) da Vinicultuna ou Dos Pequenos Milagres

Eu juro, juro, juro, três vezes três vezes juro, por tudo que há mais de sagrado, pelo "Afonso", pelo Pote de Banha, pelo nosso Fundador, pela minha capa rasgada e pelas Cuecas da menina Aurora que vi a Ana Satânica, referida no poste anterior, na companhia do Senhor Do Vale há menos de 10 dias no Piolho.
O Senhor Do Vale estava claramente a apreciar a presença de tal donzela, abandonando a nossa mesa para maior privacidade com ela, e tentando mesmo que ela fosse convidada para a festa de aniversário de casamento do nosso Velho. Ela também se mostrou bastante interessada em ir, e em participar em mais encontros da tuna, porque, segundo dizia, era "Mezzo-Soprano e Contralto. Ao mesmo tempo!". Ficou de se marcar qualquer coisa...
No casamento do nosso Velho perguntei ao Senhor do Vale como estavam as coisas com ela, ao que ele me respondeu: "Deixei a gaja... não batia bem da tola! Ahahahaha!!!"

Qual será o significado místico deste estranho episódio? Que implicações terá para o futuro da Tuna?

tempo dixirit

5 comentários:

Pissæ Cubis disse...

Ahhhhhh! :) era desta que falavas!

Pissæ Cubis disse...

Acho que deveríamos reconciliar a Satânica com o Sr. Do Vale e fazer uma boda.

Ela é maluca, e ele sabe contar!

maximum morsae disse...

Sim, sim, mais uma das causas perdidas que serão atingidas pela Tuna!
Vou já cagalhão!

Fodunt disse...

Que fique para o registo que a Donzela "pertence à secção de jazz do orfeão"

Vou já cagalhão...

Minetum Expertis disse...

Pelo Sinal da Santa Cruz,
Livre-nos Deus Nosso Senhor,
Dos Nossos Inimigos!

Arre! Foge, Mafarrico!!!!!!!

Na Casa do Senhor, Não Entra Satanás
Xô, Xô!, Satanás!
Xô, Xô!, Satanás!